Quatro astronautas chegaram, na manhã deste sábado (24), à Estação Espacial Internacional a bordo de uma nave da SpaceX, informou a empresa às 6h19 (horário de Brasília). A chegada marcou a primeira vez em que dois veículos espaciais da SpaceX ficam ancorados à estação ao mesmo tempo.

A nave havia decolado na sexta-feira para um voo de 23 horas. A estação espacial fica a cerca de 400 km da Terra.

A bordo da nave estavam os astronautas da Nasa Shane Kimbrough, de 53 anos, comandante da missão, e a pilota Megan McArthur, de 49 anos. Também participam da missão um astronauta japonês, Akihiko Hoshide, de 52 anos, e o especialista francês Thomas Pesquet, de 43 anos, engenheiro da Agência Espacial Europeia.

Os astronautas devem ficar seis meses no espaço, conduzindo experimentos e fazendo manutenção na estação antes de voltarem para casa. A equipe foi a primeira a ir ao espaço em uma nave construída a partir de material reciclado de um lançamento anterior.

Os quatro foram recebidos na estação por 7 astronautas que já estavam lá: três da Nasa, um da agência espacial japonesa, dois cosmonautas russos e um astronauta americano que dividiu um voo da Soyuz.

A pilota McArthur é a segunda pessoa de sua família a viajar a bordo da cápsula da SpaceX: ela é casada com o astronauta da Nasa Bob Behnken, que participou do voo de demonstração da empresa com o astronauta Doug Hurley no ano passado.

A equipe também é a segunda lançada pela Nasa desde que os EUA retomaram os lançamentos com astronautas a partir de solo americano, no ano passado. A primeira, lançada ao espaço em novembro, deve voltar à Terra no dia 28. O país tinha ficado 9 anos sem lançar aeronaves tripuladas.

Esta missão é a terceira da parceria da empresa com a Nasa. A SpaceX foi fundada por Elon Musk, bilionário que é diretor-executivo da montadora de carros elétricos Tesla.

Veículos auxiliares reutilizáveis, projetados para retornar à Terra e pousar com segurança assim que se separarem do resto do foguete, são a grande inovação da SpaceX. A empresa pretende fazer isso para tornar o voo espacial mais econômico.

 

ANÚNCIE AQUÍ - SEJA PATROCINADOR: (69) 99906-3706

 

 

Uma nave espacial Crew Dragon da SpaceX --transportando quatro astronautas de três países-- atracou na Estação Espacial Internacional (ISS) na manhã de sábado (24), iniciando a permanência de seis meses da tripulação no espaço.

Esta missão, apelidada de Crew-2, marca o terceiro voo tripulado da companhia de Elon Musk e o primeiro a fazer uso de um foguete propulsor e nave espacial previamente pilotados e de propriedade privada.

Os astronautas decolaram do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, na sexta-feira de manhã (23) e passaram quase 24 horas subindo em órbita a mais de 17 mil milhas por hora, enquanto sua nave Crew Dragon manobrava em direção à ISS, que orbita cerca de 250 milhas acima da Terra.

Na manhã de sábado, a cápsula se alinhou lentamente e se moveu para atracar diretamente com um dos portos da estação espacial.

A tripulação conta com os astronautas da NASA Shane Kimbrough e Megan McArthur, Thomas Pesquet, da Agência Espacial Europeia, e Akihiko Hoshide, da agência espacial japonesa JAXA.

O foco principal da missão dos astronautas será a pesquisa com "chips de tecido" ou "pequenos modelos de órgãos humanos contendo vários tipos de células que se comportam da mesma forma que no corpo" e que a NASA espera que avancem no desenvolvimento de drogas e vacinas, segundo a agência espacial.

Esse trabalho terá como base anos de estudo de fenômenos biológicos e outros fenômenos científicos a bordo da ISS, onde o ambiente de microgravidade pode dar aos cientistas um melhor entendimento fundamental de como algo funciona.

Kimbrough, McArthur, Pesquet e Hoshide se juntaram a sete astronautas que já estavam a bordo da estação, quatro dos quais chegaram em uma cápsula diferente do SpaceX Crew Dragon em novembro. Isso eleva o total atual de pessoal da estação espacial para 11 - uma das maiores tripulações que a ISS já hospedou.

Mas esse número cairá rapidamente para sete quando quatro dos astronautas que estão a bordo pegarem uma carona da estação para casa em 28 de abril.

A NASA passou mais de uma década trabalhando para aumentar o pessoal a bordo da estação espacial de 21 anos depois que a aposentadoria de seu programa do ônibus espacial em 2011 deixou a espaçonave russa Soyuz como a única opção para levar astronautas de e para a ISS.

Os Estados Unidos vinham pagando à Rússia até US$ 90 milhões por assento nessas viagens. Durante anos, a SpaceX trabalhou sob um contrato de preço fixo de US$ 2,6 bilhões para desenvolver sua espaçonave Crew Dragon sob o programa Commercial Crew da NASA, que pela primeira vez na história da agência espacial entregou a tarefa de construir e testar uma nave espacial digna de uma tripulação para o setor privado.

(A Boeing (BA) está trabalhando com um contrato semelhante para desenvolver sua própria cápsula para o programa. Essa cápsula, chamada Starliner, ainda está em fase de testes.)

A missão é um marco nos esforços da SpaceX para promover a reutilização do equipamento de viagens espaciais, a fim de reduzir os custos do voos. Tanto a cápsula Crew Dragon, chamada "Endeavour", quanto o foguete Falcon 9 que o colocou em órbita, já voaram no espaço antes.

Embora a empresa tenha reutilizado boosters e espaçonaves dezenas de vezes em satélites e lançamentos de carga nos últimos anos, isso marca a primeira vez que a companhia reutiliza seu equipamento para uma missão tripulada.

 

FONTE: NASA

 

ACOMPANHE NOSSA PROGRAMAÇÃO NA WEB TV E PLATAFORMAS DIGITAIS